sexta-feira, 25 de novembro de 2016

A guide to kick depression in the a$$

Depressão. Só de dizer esta palavra até me arrepio. Todos nós temos momentos menos felizes na nossa vida e isso é completamente normal. São esses pequenos momentos mais tristes ou complicados que nos fazem apreciar o que temos de bom na nossa vida. O problema é quando essa tristeza ou desmotivação nos perseguem durante semanas, meses, anos. Aí deixamos de falar em tristeza e passamos a falar em depressão. É uma coisa que está sempre lá mas que nem sempre sabemos identificar. Eu já passei por isso e sei perfeitamente quais são os meus 'sintomas' mas acontece frequentemente as pessoas estarem tão focadas no seu dia a dia que acabam por ignorar aquele bichinho que lhes anda a chatear a cabeça. 
Tenho pensado muito sobre o assunto porque desde que vim para a faculdade que os meus dias passaram a ser muito mais cinzentos. Lá no fundo, já previa que ia acontecer algo do género. Acordo sem motivação, analiso e penso nas coisas demasiado, estou sempre a procura de desculpas para ir para casa, estar sozinha. Não estou verdadeiramente feliz. Eu sei disso, mas quero acreditar que vou mudar. Porque acredito que a única forma de viver é ser feliz, pelo menos é assim que eu quero passar o resto dos meus dias. Não preciso de estar sempre alegre ou bem disposta, mas quero estar feliz. E toda a gente merece uma oportunidade para ser feliz. Por isso peço-vos que não ignorem os sinais que o vosso corpo vos dá. Se sentem que algo não está bem, não o deixem num canto do armário, falem sobre isso, enfrentem o problema. 
 Sentes te sem motivação para nada? Estás sempre com preocupações secundárias? Tens medo de passar tempo sozinho ou isolas te propositadamente? Sentes que tudo te corre mal e que toda a gente tem mais sorte que tu? Tens um sorriso na cara mas estas a morrer por dentro? Não tens entusiasmo para o futuro? Falar daquilo que te deixa triste encomoda-te? Então não estás verdadeiramente feliz.
Vamos tratar disso? Ao longo do tempo fui desenvolvendo uma receita mágica que funciona sempre e me deixa logo muito mais animada. Como descobrir aquilo que te está a deixar em baixo pode ser demasiado complexo começa por algo mais simples: enumera aquilo que te faz feliz e faz isso mais (muitas mais) vezes. Comecei a dar conta que quando praticava desporto chegava a casa cheia de energia e muito mais animada por isso decidi entrar na equipa de volei da faculdade. Também dei conta que ir a praxe, apesar de todos os contras, me fazia esquecer dos problemas e me obrigava a interagir. Falar com pessoas. Sempre que falava com alguém, mesmo que fosse um colega com o qual tinha menos confiança, ficava automaticamente mais feliz. 
Agora a parte mais difícil: pensa nas situações em que te sentiste pior e foge delas, evita-as a todo o custo.
Apercebi me de que vir para casa e passar tempo a mais sozinha me deixava super deprimida, por isso, tento organizar me de modo a passar o menos tempo sozinha possível. Almoço sempre na faculdade e vou estudar para a biblioteca, fico a conversar com colegas no café ou então vamos para uma sala de estudo. Qualquer coisa que me ocupe a mente. Muitas vezes a minha tentação era vir logo para casa mal as aulas acabassem mas como já sabia qual ia ser o resultado 'obrigava me' a ficar e conviver. E resultou. Fiquei muito mais feliz e só tive que mudar uma pequena coisa na minha rotina.
Mas o que faço naquelas alturas em que todos os problemas colidem na minha mente e só me apetece gritar? Respira fundo. Sai de casa. Repito. Sai de casa. Dá uma volta ao carteirao. Vai à um café lanchar. Qualquer coisa. Se não puderes, enrola te numa manta, faz uma bebida quente, põe te confortável e vê a tua seria favorita. Não penses em mais nada, vais ver que ajuda.
O meu segredo é: se fingir que sou feliz e acreditar que isso é verdade, eventualmente vou ser mesmo feliz. Pensem sempre que nunca estão sozinhos e podem sempre recorrer a pais, amigos, família. Em último recurso têm me sempre a mim. Sou a primeira a dizer que vos ajudo se precisarem de alguma coisa. O que quer que seja, basta falarem comigo. Porque a vida é bela e amarela e curta demais para ser vista com um ar tristonho.
                                         Mensagens pessoais: peaceloveandcupcakes@sapo.pt 
© Uma colher de arroz
Maira Gall