sábado, 24 de fevereiro de 2018

#CasaDoCais | NÃO VAIS QUERER PERDER


Tenho a certeza que toda a gente que tem twitter já ouviu falar desta série mas para aqueles de vocês que, por alguma razão desconhecida, andam desatentos, hoje venho falar-vos da nova série da RTP "A Casa do Cais".

Foi um projeto abraçado pela RTP Lab, dando a oportunidade a youtubers e a jovens "comuns" de produzirem e protagonizarem o seu próprio projeto. Os nomes do elenco devem ser familiares para a maior parte de vocês: Ema aka Peperan aka Ana Correia, Jay aka Francisco Soares aka Kiko is Hot , Lara aka DJUBSU e Alex aka André Mariño (este era o único que ainda não conhecia). A meio da série entra uma nova personagem que faz com que um número ainda maior de pessoas se relacionem com a série, a Beatriz aka Helena Amaral. 

A série é descrita da seguinte forma pela produção: "Esta série é para quem acorda às 3 da tarde numa quarta-feira e designa o pacote de batatas fritas aberto, na mesa de cabeceira, como pequeno almoço. Para quem já comeu metade de Lisboa e quer expandir a sua “mercadoria” internacionalmente. Para quem está às 7h15 na cave do Lux, a gastar os sapatos, ao lado do João Botelho, enquanto se pergunta a que horas o supermercado abre, porque entra às 8h30 e precisa de comprar 2 latas de red bull. Para quem diz que hoje se vai deitar cedo para ir ao ginásio de manhã e está a ver a quarta temporada de Game of Thrones às 4 da manhã. Enfim, é uma série para quem é jovem, parvo e feliz na sua incoerência." 



Confesso que quando ouvi falar desta série pela primeira vez e soube que estava a ser produzida em nome da RTP não fiquei com grandes expetativas porque sendo a RTP um canal de televisão tão "clássico" não iria certamente tratar os temas de maneira tão crua e real como eles exigiam. Mas como estava enganada. A série é realista, crua e nua de qualquer preconceito  (literalmente). Os temas de sexo, drogas, álcool, festas, iniciar a vida adulta e falhar constantemente nas escolhas que fazemos estão muito presentes durante toda a série. Além disso, a maior parte das personagens são LGBT, o que é algo que eu diria ser inédito em televisão portuguesa, pelo menos desta forma. 



Quando chego a casa às 7 horas de uma segunda feira e vejo a notificação que saiu um novo episódio fico logo super entusiasmada. Não me identifico de todo com o estilo de vida que a Emma, o Jay, a Lara e o Alex levam (nomes das personagens principais) mas isso não me impede de desfrutar de todos os minutos do episódio. Apesar de não me identificar pessoalmente, é um retrato muito real da vida dos jovens de hoje e acho que é disso que tanto gosto.

Pelos comentários dos episódios, apercebemos nos que há muita gente que não gostou, de todo, que  RTP "apoiasse" este tipo de conteúdo. Mas eu acho super importante que estes assuntos sejam abordados pois tal como o Kiko disse numa entrevista à ELLE, enquanto cresci nunca tive contacto com nenhuma realidade à exceção da heterossexual e todos sabemos que isso está longe de ser realista. 
Um grande plus é o fator comédia da série, que está sempre presente e executado de uma maneira eximia. 

São 10 episodios sendo que já saíram 6 deles. Têm aproximadamente 15 minutos cada um (por mim podiam ser de meia hora, que não me importava nada) e estão disponíveis no youtube.

Só me resta dar os parabéns a todos que participaram neste projeto, principalmente à Peperan e ao André Mariño que escreveram as bases do guião, pela ideia fantástica e tão bem executada que tiveram. Pensar que toda a gente envolvida são jovens como nós, que têm uma plataforma na internet e que estão a conseguir chegar tão longe apenas me dá motivação para continuar a crescer para melhorar a minha plataforma. Serve para nos mostrar que, em pleno ano de 2018, o impacto que tens na internet pode de facto passar para o "mundo real".



Eu vou continuar a assistir aos restantes 4 episódios, esperando ansiosamente pela próxima segunda feira, e desejando em silêncio que façam uma nova temporada. Quanto a vocês espero que vos tenha motivado minimamente para irem dar uma espreitadela, não se vão arrepender.


© Uma colher de arroz
Maira Gall