sábado, 4 de junho de 2016

May, have you been good to me?

Maio passou a correr. 
Foi essencialmente um mês de despedidas e de emoções à flor da pele. Foi dizer adeus a tudo o que nos é familiar. Foi a ansiedade acumulada pela escola. Foram conversas a fio a planear o baile. E já passou. Tudo aquilo para o qual estávamos entusiasmados acabou e não posso deixar de sentir um certo vazio e desencanto dentro de mim.
Cheguei à conclusão que as coisas boas passam muito depressa e a única coisa que podemos fazer é aproveitá-las ao máximo, estando a 100% na situação. 
Às vezes dou por mim a "sair" do meu próprio corpo e a observar aquilo que se passa à minha volta. Parece tudo tão efémero.  Todos os sorrisos, todas as lágrimas, todas as gargalhadas, todas as danças. Numa perspetiva universal tudo isso é desprezável mas para nós tem tanta importância. E é triste saber que esses momentos nos escapam das mãos numa fração de segundo e que o que ficam são apenas as memórias.
Em maio também aprendi que não faz mal se de vez em quando estivermos tristes. Considero me uma pessoa bastante bem disposta mas isso não me tira o direito de poder ter dias maus.
Maio fechou um ciclo e abriu a porta para uma nova realidade.


© Uma colher de arroz
Maira Gall