segunda-feira, 11 de abril de 2016

WHAT YOUR MOTHER DOESN'T TELL YOU : VIAGEM DE FINALISTAS


Viagem de Finalistas: era um conceito que me assustava. Nunca fui muito de ir a  festas nem de cometer grandes loucuras, gosto da minha rotina e de me sentir num ambiente seguro. Para mim este tipo de viagens sempre foram sinónimos de excessos, tentações e quebra de regras. 
Este ano fui à minha viagem de finalistas e posso confirmar: é tudo isso, mas cabe a cada um escolher como quer quebrar essas regras e relembrar essas loucuras. Cheguei à conclusão que depende de nós e (especialmente) do nosso grupo de amigos escolher como passar a melhor semana das nossas vidas!

Por partes: a viagem de autocarro foi um pesadelo. Não vou mentir, passar 12 horas enfiada num autocarro não é para mim. Para futuros viajantes, tragam mantas, almofadas, fones e muita paciência porque é muito tempo num espaço tão pequenino. Mas vale a pena.
Eu fui para Gandia, no Sul de Espanha e adorei o destino. A praia era maravilhosa, o tempo estava perfeito e a CREW foi espetacular na organização das atividades. Festas na praia, sunsets, animação, concertos de artistas portugueses como o Jimmy P, Dillaz, Sam the Kid e Mundo Segundo, adorei tudo. 

Como disse no início, neste tipo de viagens onde temos liberdade completa, cabe-nos a nós a responsabilidade de ter a noção das coisas porque não vão estar lá os papás para nos dizerem que as 2h temos de estar em casa. 
Ali temos tudo à nossa disposição: bebida, droga e quartos de hotel. Claro que o objetivo é divertirmo nos e, obviamente que não fui uma santinha, mas posso dizer com muito orgulho que não fiz nada que me tivesse arrependido e que aproveitei ao máximo aqueles seis dias. Também tenho de dar crédito ao meu grupo de amigos que foi espetacular. Ficámos na praia até as nove da noite, passamos horas a dançar nas discotecas, fizemos imensas brincadeiras, vimos o nascer do sol e depois dormimos até às tantas da tarde. Quebramos as regras, fizemos loucuras, mas tudo coisas das quais vou adorar relembrar. 

Também se vê muita coisa. Coisas que preferia não ter visto. Deparamo nos com situações que põem à prova o nosso carácter. Pessoas sentadas num canto a vomitar que foram abandonadas pelos amigos, raparigas podres de bêbedas a andarem sozinhas, rapazes que faziam investidas que roçavam o limite de assédio sexual. Cenas destas vi eu muitas. Em algumas não entrevi mas outras não pude ficar quieta. Entristeceu-me ver que, aquilo que eu esperava encontrar acontece mesmo e são nestas situações que vemos a verdadeira personalidade das pessoas. 

Claro que depois também houve os clássicos "dramas" que são inevitáveis quando se juntam algumas dezenas de finalistas num único hotel mas, com essas situações que chegam a tocar o ridículo, eu só me ria e ficava à espera de mais novidades. 
Mas  adorei e ainda bem que fui e deixei os meus receios de parte. Obrigada Gandia pela melhor semana de sempre. Vou sempre lembrar-te com amor. 

 


© Uma colher de arroz
Maira Gall