quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Todos nós temos TALENTO

[Repost]

Todos nós, e quando digo todos, refiro-me a toda a humanidade viva que habita no planeta terra, somos apaixonados por algo. Seja arte, fotografia, desporto, dança, teatro, escrita, aprendizagem, música, ciências...há tantas áreas para serem descobertas que é natural que cada um de nós se identifique mais com umas do que com outras, e todos nós somos apaixonados por alguma coisa, mesmo que à primeira vista não consigamos encontrar nada em que sejamos realmente bons. Pensa: o que é podias fazer para o resto da tua vida? Qual é a actividade que te deixa realizado e satisfeito contigo próprio de cada vez que a praticas? Qual é aquela coisa que sempre quiseste experimentar, mas tiveste demasiado medo para seguir em frente? Ás vezes é difícil responder com sinceridade as estas perguntas e é muito mais fácil dizer que não temos talento para nada ou que tem de se nascer artista para ser um artista. Mas aí é que está a beleza das paixões, todos nós, inevitavelmente, sentimos entusiasmos por algo; faz parte da natureza humana querer saber mais e deixar-se entusiasmar pela beleza das coisas. É o nosso trabalho, que desenvolvemos ao longo da vida, descobrir quais são essas paixões.


Durante muito tempo as pessoas diziam que eu tinha jeito para o desenho e pintura. Eu gostava de desenhar, colorir, criar, inventar e ver o produto final e como as pessoas ficavam orgulhosas a olhar para ele. Portanto poderia-se dizer que a minha paixão era a arte. Mas porque resignar-me a apenas uma área e colocar um rótulo na minha própria cabeça? Eu quero mais. Sou também apaixonada pela escrita, embora tenha a consciência de que ainda tenho espaço para melhorar (e muito). Sinto-me nas nuvens quando faço exercício físico e deteto o cansaço a apoderar-se do meu corpo; por isso é correto dizer que também sou apaixonada pelo desporto. Se dependesse de mim passaria dias e dias a ler sem horários nem compromissos e por isso sou apaixonada pela leitura. Também gosto de aprender coisas novas: como é que o nosso organismo funciona? Porque é que o sol é amarelo? Como é que as plantas se alimentam? Como surgiu a Terra? Sou apaixonada pela descoberta de novos factos e a biologia está certamente no centro desse interesse.
Até à bem pouco tempo atrás, se alguém me perguntasse se tinha algum talento, ou se fazia algo de interessante, responderia que não, que era uma rapariga normal e não havia nada de interessante sobre isso. Mas agora, estou nas plenas faculdades para responder de forma correta a essa pergunta: embora não saiba cantar, dançar, representar, talvez até nem escrever, sei fazer muitas outras coisas pelas quais estou apaixonada e me sinto realmente bem quando as faço.
Não podemos permitir ao nosso fraco bom senso fazer comparações com outros. Cada um é como é; tem a sua própria personalidade, os seus próprios gostos e passou por diferentes experiências que o fizeram uma pessoa diferente de ti. E não consigo expressar o quão sortudos somos por termos essa variedade, caso contrário nunca nos destacariamos em nada. Temos de aprender a valorizar a nossa pessoa e trabalhar em melhorar-nos sem ter em conta os demais.
Qual é a vossa paixão? Aquilo que faz parte de vocês mas que não vos define? É isso que é importante ter em mente, podem ser bons em imensas coisas, ou resignarem-se apenas com uma se isso vos faz feliz, mas não é o número que "talentos" que tens que te define enquanto pessoa.

Este post foi maioritariamente inspirado pelo vídeo de uma youtuber, Savana Brown, que é a rainha em discursos motivacionais. Obrigada.

© Uma colher de arroz
Maira Gall