domingo, 19 de fevereiro de 2017

Sair de casa dos pais e ser "independente"

 Quando alguém me diz "Mal posso esperar para ir para a faculdade, estou ansioso para ser independente" eu não consigo evitar em soltar uma gargalhada.
Em primeiro lugar, a partir do momento que são os teus pais a pagarem pelos teus estudos, casa e comida, ainda não és independente,  estás muito longe disso. Em segundo lugar, acho que a maioria dos adolescentes (estou me a incluir nesta categoria) têm uma ideia errada do que é começar a viver sozinho. Um conselho muito rápido para quem não chega ao final do post: aproveitem enquanto são crianças, garanto vos que vão ter imensas saudades dessa altura.

Cresci numa cidade pequena por isso a realidade de aos 18 anos sair de casa dos meus pais para ir para a faculdade esteve sempre bem presente. Numa conversa recente com colegas da faculdade que, como vivem no Porto, ainda estão em casa dos pais, dei me conta que nem toda a gente tem essa ideia. "Não estou a pensar sair de casa tão cedo, nem me consigo imaginar a viver sem os meus pais". Ouvir isto chocou-me um bocado: duas pessoas com exatamente a mesma idade mas com duas mentalidades já tão diferentes.

Viver sozinho pode ser o sonho para algumas pessoas: não há ninguém que te diga o que fazer e tu fazes as tuas próprias regras. Comes às horas que queres, acordas às horas que queres, fazes o que queres. Mas rapidamente aprendes que nem tudo é bom. De repente todas as tarefas domésticas caem sobre ti: o lixo não se despeja sozinho, o almoço não aparece feito e, por alguma razão oculta, a despensa teima em ficar vazia. De um momento para o outro és lançada para o mundo dos adultos e, quando dás conta, tu és a única pessoa responsável por ti.

Da primeira vez que cheguei a esta conclusão assustei-me. Eu sou responsável por mim própria. Apesar de muitas vezes ainda desejar ter a minha mãe em casa quando chego da faculdade, a verdade é que, este "modo de vida" se assim lhe podemos chamar, dá-nos outra mentalidade e outra bagagem que os nossos colegas que ficam acomodados em casa dos papás só terão muito mais tarde na vida. E, apesar de não me importar de ser criança por mais uns tempos, acho que isso só  nos trás benefícios.
Além disso podemos sempre ser crianças quando ninguém está a ver, right?


Ainda vivem como os vossos pais? Se não, como foi a vossa saída e como se estão a dar na vida dos adultos?
© Uma colher de arroz
Maira Gall