sexta-feira, 8 de julho de 2016

TRAIÇÃO

 A traição sempre foi algo que me intrigou. Afinal de contas porque que é que as pessoas traem? Nunca consegui bem entender.
Há uns dias li numa revista um artigo que seguia as linhas de "dicas para evitar que o seu parceiro a traia". Li o artigo e, apesar de dar sugestões bastante interessantes, para mim aquilo não fez sentido nenhum.
Se uma pessoa gostar verdadeiramente de mim não vai precisar de "subornos" nem paninhos quentes ou de uma atenção redobrada para não trair. 
Numa relação tem de haver equilíbrio: temos de saber dar espaço e tempo e saber que, mesmo nós não estando lá, a outra pessoa vai manter o mesmo comportamento. Isso dá-nos estabilidade, confiança e, inevitavelmente felicidade. Não consigo viver num ambiente em que esteja sempre com medo de que possa ser trocada ou substituída. Para mim uma relação saudável baseia-se na confiança mútua.
E quando a traição acontece? Já vi isto imensas vezes. As pessoas acabam quase sempre por perdoar e aceitar o parceiro de volta. Porque? Bem, há imensas razões, umas compreensíveis para o publico comum e outras mais rebuscadas, que só farão sentido na cabeça de alguns. 
A desculpa mais frequente é dizer que foi um "erro", que "nunca mais voltará a acontecer" ou "que não estava a pensar direito". O efeito do álcool e das drogas também são "escapatórias" comuns nestes casos. Ok, errar é humano e toda a gente tem direito a fazê-lo mas ninguém que me convence que qualquer uma destas desculpas é aceitável.
Outras vezes o amor fala mais alto. Queremos tanto aquela pessoa que acabamos por desculpá-la, com a esperança que esse "erro" venha a desaparecer com o tempo.
Felizmente, a minha curta experiência de vida não me permite dar opinião em primeira mão sobre o assunto e não sei como irei reagir se algum dia me acontecer. No entanto, posso dar um conselho que considero sensato e eficaz neste caso. Quando estiverem a iniciar uma relação falem sobre este tema e estabeleçam os vossos limites. Para vocês o que é trair? Falar com outras pessoas? Sair até tarde sem avisar? Mandar mensagens a "supostas ameaças"? Posto isto é esperado que se sintam mais à vontade um com o outro. Depois é só construir confiança e serem felizes.

O que acham sobre este tema? Estou ansiosa para saber a vossa opinião.
© Uma colher de arroz
Maira Gall